Cartas · Família · Relatos Pessoais · saúde mental

Depressão Pós Parto x Baby Blues

Texto da colaboradora Gabriele Machado Furtado


Oi, gente, tudo bem? Meu nome é Gabriele M. Furtado. Sou engenheira civil, mãe, esposa e dona de casa. Possuo um blog sobre maternidade, o Papo de Trocador, e lá compartilho um pouco das minhas experiências como mãe de primeira viagem, um pouco do nosso dia a dia e algumas dicas para ajudar nesse universo doido chamado maternidade. Gostaria de compartilhar com vocês esse texto e espero que vocês gostem da minha contribuição e que eu possa ajudar alguma mulher que esteja passando por dificuldades, como eu enfrentei e enfrento nessa minha nova jornada como mãe.

O bebê nasceu! Que alegria, aquele cheirinho de bebê, uma nova vida que é de sua inteira responsabilidade, você ainda está com aquela barrigona, seus seios doem, a amamentação não está indo como você esperava, um misto de sentimentos invade a nova mãe, sendo os hormônios os principais responsáveis por essa mudança. A angústia, tristeza, e ansiedade são super normais no puerpério e você não deve se sentir culpada, menos mãe, ou uma mãe ruim por não estar saltitante e com o corpo perfeito, como as atrizes de TV saem nas capas das revistas!

Estima-se que cerca de 60% das mulheres sofrem de uma forte melancolia no pós-parto, conhecida como Baby Blues. Na maior parte dos casos, o Baby Blues (aquela tristeza, sensação de que você não vai dar conta de tudo) passa algumas semanas depois do parto, mas em alguns casos, de 10 a 15% das mulheres enfrentam um problema ainda mais grave, a Depressão Pós-Parto.

Enquanto o Baby Blues é passageiro, causando apenas alterações hormonais e não sendo necessário nenhum tipo de tratamento, uma vez que os hormônios tendem a normalizar após o puerpério, a Depressão Pós-Parto não é causada pela gravidez ou pelo nascimento do bebê, possuindo geralmente uma outra causa oculta e necessitando de tratamento médico. A Depressão Pós-Parto possui os seguintes sintomas:

* Tristeza e melancolia constantes;
* Choro constante;
* Angústia;
* Sensação de que não vale a pena viver e de que nada de bom vem pela frente;
* Sentimentos negativos e até perigosos em relação a você ou ao bebê.

Se você possui algum desses sintomas, procure conversar com sua família e procure ajuda médica. A culpa disso tudo não é sua, você não está sozinha, você vai ver a mulher incrível e a mãe maravilhosa que você é! Não guarde para você esses sentimentos, certa vez escutei que tudo o que eu estava sentindo era frescura e que eu não deveria ficar triste, mas NÃO É FRESCURA, você não está fazendo drama. Converse com outras mães, isso me ajudou muito a ver que eu não estava sozinha e que o que eu estava sentindo era mais normal do que eu pensava. Com ajuda médica, apoio da sua família e o tempo, tudo isso vai passar e você vai começar a ver aquele lado maravilhoso da maternidade que todos falam. E nunca se esqueça que VOCÊ NÃO ESTÁ LOUCA.


Gabriele Machado Furtado
Instagram: @gabrielemfurtado
Facebook: Papo de Trocador
E-mail: Gabriele.machado@hotmail.com

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s