saúde mental

Sobre o Transtorno Borderline

Texto da colaboradora Michele Barbosa


O que é o Transtorno da Personalidade Borderline?

O Transtorno da Personalidade Borderline é um grave distúrbio em que a pessoa tem dificuldades em controlar as emoções. Quem tem esse transtorno sofre com instabilidade de humor durante todo o dia (diferente do bipolar que sofre com a variação de humor em semanas ou meses). Sentem demais e em nível extremo todos os tipos de emoções, o que torna os relacionamentos íntimos um verdadeiro caos. Também sofrem com comportamentos impulsivos, automutilação e muitas vezes ameaças suicidas. Estatísticas apontam que de 8 a 10% desses indivíduos concretizam o suicídio devido ao seu grande sofrimento emocional.

Não existe um consenso quanto à origem do transtorno. Estudos recentes da neurociência estão revelando que o cérebro do Borderline funciona de forma diferente. Além disso, históricos de abuso sexual, negligência familiar ou outros tipos de abuso na infância seriam capazes de ativar o comportamento Borderline, que funcionaria como um mecanismo de defesa. Também não é descartado o componente da genética.

Para ser diagnosticado com Transtorno da Personalidade Borderline você deve procurar um psiquiatra especializado no assunto. Ele deve ouvir você e sua família e traçar a melhor combinação de tratamento.

Alguns dias de instabilidade emocional não significam Borderline. Um transtorno de personalidade é algo muito sério e geralmente dá sinais na adolescência trazendo muito sofrimento para si e para outros. Abaixo alguns critérios a serem preenchidos que somente um médico habilitado, especializado e experiente poderá confirmar ou descartar o diagnóstico:

  • Evitar o abandono real ou imaginário;
  • Relacionamentos instáveis;
  • Perturbação da auto­imagem (não gosta do que vê no espelho);
  • Perturbação da identidade (não sabe quem é);
  • Impulsividade ou comportamentos autodestrutivos (exemplos: direção perigosa, sexo sem proteção, uso de drogas);
  • Comportamento suicida ou auto mutilação (se cortar, se queimar, se bater);
  • Instabilidade de humor;
  • Crônico sentimentos de vazio ou tristeza;
  • Raiva inadequada ou dificuldade em controlá-­la, incluindo brigas;
  • Estresse relacionado a paranoia, perda de contato com a realidade (sintomas dissociativos);

O tratamento para o transtorno Borderline consiste em medicamentos para estabilização do humor, antidepressivos e antipsicóticos, nem sempre em todas as combinações, por isso a importância de um psiquiatra especializado. Além disso, o mais importante: terapia. Existem diversos tipos de terapia para o transtorno Borderline. A mais utilizada e preferida pelos pacientes é a Terapia Dialética Comportamental, criada pela Dra. Marsha Lineham que, inclusive, já foi diagnosticada com transtorno Borderline e superou através do método que ela mesma criou. Mas também existem outras terapias como a Mentalização e a Terapia do Esquema.

Um transtorno ainda pouco estudado em nosso país, o Borderline deveria ter um trabalho de educação muito mais abrangente entre os profissionais de saúde – desde os atendimentos de emergência até os psiquiatras do SUS – e a sociedade em geral. Se houvesse mais informações, mais pessoas estariam dispostas a procurar ajuda, mais vidas poderiam ser ajudadas e poderíamos diminuir o sofrimento desses pacientes. A informação diminui o estigma e o preconceito, que por sua vez promove a inclusão dos pacientes, que traz a melhora dos mesmos. A união, nesse caso, pode curar.

É importante lembrar que cada pessoa tem uma personalidade individual. Esse artigo não abrange as pessoas de personalidades sensíveis e que não sofrem com isso. O Transtorno da Personalidade Borderline é uma doença grave que é pouco estudada em nosso país, dispõe de pouca informação de qualidade em português na internet e ainda permanece cheia de preconceitos e estigmas em diversas áreas da sociedade.


IMG_5176Michele Barbosa. Paulista. Estudou Tecnologia da Informação mas gosta mesmo da área de Humanas. Apaixonada perdidamente pela psiquiatria, psicologia e neurociência. Acredita em dias melhores e na mudança das pessoas. Considera-se extremamente sensível. Adora escrever sobre tudo o que sente, vê e pensa. Acha que a empatia é um superpoder. instagram-logo

Anúncios

3 comentários em “Sobre o Transtorno Borderline

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s